<$BlogRSDUrl$>

2004/04/23

Palavra para hoje: Amor. 

(Nãããã!... buuuu, que foleirice, outra palavra, essa não! Era o que faltava: pieguices pela manhã?!... Fora! Outra palavra, outra palavra, deixa-te de merdas!... Buuuuu!...)

Bom...

(0) comments

2004/04/05

E agora o poema, enfim… É agora que vou escrever o mais belo poema de todos os tempos, 

disse o poeta, acendendo o cigarro com a mão esquerda e guardando a pistola ainda fumegante no coldre do sovaco, com a direita. Soprou o fumo para cima do cadáver que se esvaziava de sentido, o sangue a coalhar-se na boca entreaberta, o olhar petrificado, fixo no buraco recém inaugurado no meio da testa. Empurrou o chapéu para a nuca e descontraiu os ombros. Pela janela, a cidade assistiu em silêncio ao crime. Estava vingado, por fim, as contas saldadas com o passado. Mas só um poema lhe poderia dar essa certeza, e lhe daria a libertação moral e a razão para continuar a viver no mundo de acossados que o engoliu e lhe penhorou a vontade.

Mas, ao contrário do que seria desejável, não seria com versos que escaparia à perseguição dos bófias que já se fazia anunciar com uma sirene enraivecida, lançada em ricochete contra os prédios da 5ª avenida.
Fica para a próxima, disse o poeta por fim, puxando a gola da gabardina, enterrando o chapéu, girando para a porta e regressando à sombra.
(Girou para a porta e regressou à sombra porque podia e porque dá um efeito bonito em película a preto e branco…)


(0) comments

2004/04/04

Palavra para hoje: Concupiscência. 

Concu...
pis...
cência...
Tudo seguido: concupiscência...
Mais rápido: cocpscêcia...
Muito bem...

Ao trabalho!...

(0) comments

This page is powered by Blogger. Isn't yours?